segunda-feira, 27 de abril de 2015

Autores Artistas & Faber Castell

 
O projeto Autores Artistas ganhou um parceiro excepcional: a Faber-Castell!
A Faber produziu e doou os 200 Moleskines (cadernos especiais feito para uso de artistas) que serão utilizados no projeto. O Autores Artistas irá atender 200 crianças em situação de risco social a partir de maio de 2015. Valeu Faber! :)
 

Escritos de Outono - Booktrailer


sexta-feira, 24 de abril de 2015

O outono invadiu a cidade...



quarta-feira, 22 de abril de 2015

Escritos de Outono: uma autobiografia pelo avesso



Em maio estarei lançando meu novo romance, Escritos de Outono. Essa obra é bastante autobiográfica e revela os maiores desafios e angústias que enfrentei (e ainda enfrento) como escritora. No ano passado sofri uma crise de identidade terrível e pensei seriamente em desistir da escrita. Toda profissão tem seus altos e baixos e acho que todo mundo já enfrentou algo parecido durante a jornada. Mas talvez seja ainda mais difícil para o artista superar esses períodos de oscilações, pois dependemos da aprovação direta do público se quisermos ter sucesso nesse ofício. Estamos sempre sujeitos a muitas críticas, exposição e julgamentos, e isso pode abalar tremendamente a nossa autoestima e motivação.
 
'Escritos de Outono' foi escrito entre os meses de abril e junho de 2014, período do nosso outono brasileiro, e por mais paradoxal que pareça, escrever me ajudou a superar a vontade de parar de escrever.
Esse livro foi enviado a um editor que me disse o seguinte: "não gostei muito do estilo dessa obra, pois parece um diário. Você precisa melhorar o texto".
 
Bom, na verdade é mesmo um diário, e a opinião desse editor me ajudou a formata-lo de uma forma ainda mais incisiva. Durante o processo de produção de "Escritos de Outono" eu estava imersa na pesquisa e produção do projeto Autores Artistas, e por essa razão a arte se tornou um dos personagens principais dessa obra.
 
Ao entrar em contato com os grandes artistas do mundo como Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Van Gogh e Klint, fui resgatada da minha solidão e tive a minha dor amenizada. Meu estudo e análise da vida desses grandes mestres acabou sendo registrado em Escritos de Outono, e não pude modificar o texto, ainda que agora eu tenha pensamentos diferentes sobre alguns dos temas que defendi.  
 
"Escritos" é uma obra intimista, vulnerável, fictícia e real ao mesmo tempo. À certa altura da minha vida eu desejei deixar de ser eu. Queria experimentar uma personalidade mais simples, ter uma rotina comum, rasgar todos os projetos e eliminar o desgaste da ansiedade. Como isso raramente é possível na vida real, realizei esse sonho na ficção.
 
"Escritos de Outono" é um livro sobre o medo do esquecimento, uma carta aberta a todos que desejam conhecer o lado mais sombrio dos artistas, suas decepções, seus traumas, obsessões e loucura. Mas "Escritos" também é um livro sobre o amor. A personagem principal se reconcilia com si mesma por meio da arte e de uma nova paixão. Todo o processo de cura da personagem é o meu próprio processo de cura.
 
Longe de ser uma literatura de entretenimento, Escritos é mais um conto filosófico sobre a nossa  frágil essência humana. Várias vezes precisei parar de digitar em meu computador para poder chorar. Várias vezes apaguei trechos inteiros porque eles não eram sinceros. Várias vezes larguei a obra pela metade prometendo que não a terminaria. Mas a veia artística foi mais forte e consegui botar um ponto final antes que o outono chegasse ao fim.
 
Não sei como os leitores irão reagir a esse texto, pois ele é diferente dos outros que escrevi. Seja como for, trata-se de uma história completamente humana. E histórias humanas merecem ser contadas e compartilhadas, ainda que não recebam prêmios ou aclamações.      

terça-feira, 21 de abril de 2015

Escritos de Outono

 


O novo livro da escritora Tamara Ramos, "Escritos de Outono", será lançado no próximo mês. Após dois anos voltada ao estudo da arte, escrevendo livros infantis e desenvolvendo o projeto Autores Artistas, a escritora apresenta seu novo romance para adultos.
 
"É um romance curto, ao estilo do Neurótico e da Alice, mas traz uma abordagem ainda mais pessoal. Gosto de dizer que se trata de uma biografia ao avesso, onde troco de lugar com a personagem principal da trama e me exponho mais do que nos outros livros. Se você quer mesmo saber o que significa ser um artista, então você deve ler esse livro.", diz Tamara.
 
Escritos de Outono está previsto para ser lançado em meados de Maio de 2015, em e-book pela Amazon internacional.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Diário de uma estudante de Dutch



PORQUE RESOLVI APRENDER HOLANDÊS
Por Tamara Ramos

Em 2014, enquanto eu fazia muitos cursos sobre arte e lia tudo o que encontrava sobre Van Gogh, eu descobri um território completamente novo e inexplorado: as palestras e cursos em holandês sobre os grandes mestres desse país.

O site do Museu Van Gogh apresenta tradução para o inglês, mas eu queria mais... Queria entender o que estava escrito especialmente para os conterrâneos de Vincent. Não entender Dutch (holandês), era uma frustração enorme pra mim. O site de Rembrandt era outro que me tirava o sono! Tudo ali está em holandês e há vídeos incríveis que eu não podia assistir por causa da barreira da língua.

Até que um dia, por pura coincidência (se é que elas existem), eu recebi um e-mail do Future Learn anunciando um curso básico de holandês, que seria oferecido online e gratuitamente dali a uns 3 ou 4 meses. O curso só começaria em 2015, mas eu me inscrevi mesmo assim. 

E foi então que em fevereiro deste ano eu tive a minha primeira aula de Dutch! E é sobre isso que vou te contar aqui.

MEU PRIMEIRO CONTATO COM O IDIOMA

Já era tarde da noite quando recebi um e-mail notificando que o curso de Dutch já estava disponível. Fiquei ansiosa, parei o que estava fazendo e acessei a primeira aula.  O professor, da  Universidade de Groninger, começou se apresentando em holandês, e logo fomos expostos a um diálogo inteiro falado em Dutch. Sinceramente? Eu achei que aquilo era uma loucura e não entendi o que eu estava fazendo ali!

Meu primeiro impulso foi cancelar a matrícula, desligar o computador e tentar esquecer aquele horror. Que diabos estava passando pela minha cabeça quando resolvi aprender a falar holandês?

Decidi que iria terminar de ver a primeira aula e que cancelaria tudo no dia seguinte, logo pela manhã. Mas aconteceu uma coisa muito estranha quando acordei no outro dia: eu lembrava de algumas frases em Dutch e já era capaz de falar algumas palavras e sentenças bem curtas tipo: Hoe laat is het? (Que horas são?).

Resolvi respirar fundo e dar uma nova chance às primeiras aulas. Sentei calmamente e tentei encarar aquilo como um hobby. Aula após aula a coisa foi clareando. O idioma deixou aos poucos de ser inteligível e começou a gerar em mim uma estranha sensação de familiaridade. Logo eu estava convencida de que daria conta do desafio de aprender Dutch sozinha, mas para isso eu precisava de alguma ajuda profissional de um grupo que entende tudo sobre aprender línguas: os Poliglotas.
 

APRENDENDO COM OS POLIGLOTAS

O youtube é o paraíso na Terra para quem gosta de descobrir coisas incríveis na internet. Bastou uns dois cliques e logo eu estava sendo direcionada para os canais mais legais que já vi na vida: o canal dos Poliglotas! Após três dias de estudo eu já sabia quem eram Benny Lewis, Luca Lampariello, Steve Kauffman e Frank Florida, e esses linguistas brilhantes tornaram-se meus professores virtuais. O Benny possui um site fantástico chamado “Fluent in 3 Months” (Fluente em 3 meses), que garante que qualquer pessoa pode aprender um idioma em 3 meses. Ok - você vai dizer -, não é para todo mundo, vai? O cara é um gênio, fala mais de 10 línguas e não para de aprender, mas para um simples mortal aquilo é impossível! Mas eu queria tanto aprender Dutch que resolvi estudar o método dele, que é basicamente isso:

·         Fale desde o dia 1;

·         Nenhuma língua é difícil (as pessoas dizem isso para te desencorajar e inflar seus próprios egos);

·         É possível começar a aprender qualquer língua do ZERO porque há sempre palavras iguais/parecidas em todos os idiomas;

·         Diga a todo mundo que está aprendendo holandês,  bote pressão e crie expectativas nos outros em relação aos seus estudos (desse jeito você se compromete mais);

·         Compre alguns phrasebooks e monte um script com um roteiro do que quer aprender a falar;

·         Encontre alguém online para falar com você no novo idioma;

·         Estude 2 horas por dia a língua que quer aprender;

·         Ouça música e sintonize uma rádio em holandês;

·         Exponha-se o máximo possível ao idioma, 

·         Faça isso por 3 meses e voilá! Logo estará falando a língua nova.

No meu caso eu comprei 3 phrasebooks, 1 caderno para anotações e montei uma caixa com Flashcards, além de me cadastrar em sites que ensinam Dutch para estrangeiros.

Livros que estou usando:

·         Berlitz Dutch Phrase Book & CD

·         Dutch Made Nice & Easy (language learning)

·         Holandês – Guia de conversação para viagens (Folha de SP)
 
 

 
COMO FOI A MINHA PRIMEIRA CONVERSA EM HOLANDÊS

Concluí o curso online da Universidade de Groningen, e prossegui com meus estudos regulares. Acredite se quiser, mas já consigo ler livros infantis bem básicos em Dutch, desenhos para crianças e algumas matérias bem curtas (enunciado de notícias). Mas eu precisava testar a pronúncia. Aprender um novo idioma significa, basicamente, ser capaz de se comunicar. Eu não queria aprender a ler ou ouvir holandês, mas a falar a língua.

Minha primeira conversa em holandês foi pelo Skype, com um parceiro de idiomas que você pode encontrar pelo site ITALKI. No início fiquei ansiosa e achei que não conseguiria falar nada. Segui meu script e tentei me ater a ele para poder gerar confiança na hora de me expressar. Meu parceiro de língua fez algumas correções na minha pronúncia, mas elogiou meu vocabulário e ficou surpreso de ver as expressões que aprendi a usar como “Wat jammer!” (É uma vergonha!).   

Hoje consigo manter um diálogo simples falando sobre o tempo, o país onde vivo e meu interesse pela língua. 

 
MINHA ROTINA DIÁRIA DE ESTUDO

No dia 25 de abril iniciarei um novo curso de Dutch online, com 50 aulas sobre gramática. Mas até lá tenho estudado da seguinte forma:

·         Todos os dias leio minhas anotações sobre o que aprendi até aqui (é muito importante revisar as aulas diariamente);

·         Encontrei 2 cursos ótimos na internet que se adequaram melhor ao meu estilo de aprendizagem: Livemocha e Oefenen (NL).

·         Todos os dias escuto a rádio de Amsterdã e ouço músicas em holandês, enquanto acompanho a melodia com as letras que imprimi da internet. Minha cantora favorita é a Wende Snijders.

·         Estou aprendendo a cantar Let it Go (Frozen), em Holandês (Laat het los);

 
·         Baixei vários livros infantis em Dutch, gratuitamente, em PDF, e os traduzo para o inglês enquanto aprendo o significado das palavras e a ordem das frases. 

 
·         Semanalmente aumento as fichas do meu Flashcard adicionando palavras e frases novas.

 
·         Toda a semana assisto a um programa em Dutch, seja um noticiário, um capítulo de novela ou um desenho animado. Mesmo que eu não entenda muito bem, sei que a língua está entrando!
 

·         Estou estudando linguística e lendo TUDO, absolutamente TUDO sobre a vida e o processo de aprendizagem dos poliglotas. Esse é atualmente o assunto que mais me interessa!    



Para acompanhar minhas pesquisas sobre as técnicas dos poliglotas, curta a minha página no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Teacher-Tamara/331821157007900?fref=ts

domingo, 5 de abril de 2015

Entrevista para o site RDTPop!

 
Entrevista concedida a Karol Rabelo para o site RDTPop, dia 02 de abril de 2015
 
 
Oi pessoal!!
Bom, nos últimos dois posts vocês conferiram duas resenhas de livros da escritora Tamara Ramos, então achei que seria legal apresentar mais um pouquinho dela para vocês.
Mandei uma mensagem pra ela e claro, como ela é uma fofa, ela concordou! Sendo assim, lhes apresento Tamara Ramos!
tamara
 
RDTPop: Oi Tamara, é muito bom ter você aqui no RDTPop! Seja bem vinda! Eu sei que essa é uma pergunta clichê mas… Conte-nos um pouco sobre quem é Tamara Ramos.

Tamara: Oi Karol! É muito bom participar do RDTPop, fico sempre feliz quando sou convidada a compartilhar minhas novidades com vocês!
Se eu tivesse que definir a mim mesma em poucas palavras diria que sou uma “estudiosa apaixonada e compulsiva”! A literatura é apenas consequência da minha paixão pelo conhecimento. Passei muitos anos estudando a psicanálise de forma autodidata e esse estudo gerou 2 livros: “UM TANGO PARA ALICE” e “UM NEURÓTICO NO DIVÔ. Fui para a Europa tentando conhecer melhor outras culturas e dessa experiência nasceu “IRINA BLOOM”. Passei muito tempo estudando a poesia de Fernando Pessoa, Pablo Neruda e Olavo Bilac, e esse estudo me levou a produzir “VIDA FORASTEIRA”, minha primeira Antologia Poética. Acho que a literatura foi a maneira que encontrei de organizar meu pensamento e arquivar todas as coisas que aprendi, e ainda aprendo, com a vida.
 
RDPPop: Quando você percebeu que queria ser escritora?
 
Tamara: Eu sempre fui muito interessada em leitura. Comecei a ler e a escrever aos 4 anos de idade, muito antes do período de alfabetização escolar. Aos 8 anos comecei a produzir algumas histórias em quadrinhos que eu mesma ilustrava, mas acho que o desejo de me tornar escritora apareceu só lá pelos 15 anos, quando tive uma professora de português que se encantou pelas minhas redações. Essa professora guardava toda a minha produção juvenil e me trazia livros fantásticos para ler, como a obra de Olavo Bilac. Ela dizia que eu tinha talento para a escrita e me estimulou muito a continuar escrevendo. Acho que os professores deveriam estimular e elogiar mais seus alunos quando percebem alguma vocação especial. O incentivo de um professor pode, literalmente, modificar para melhor a vida do aluno.
Minha primeira produção literária se deu na poesia, entre os 15 e os 16 anos. No início eu tentava imitar os poetas que admirava, e só aos poucos comecei a produzir algo mais pessoal. A poesia me ajudou muito a atravessar o difícil período da adolescência, e servia praticamente como uma autoterapia. Se eu tinha algum problema ou desconforto pessoal, eu desabafava em verso! Esse processo ajudou a manter a minha autoestima.
 
RDTPop: Nós já tivemos o prazer de resenhar aqui no site o livro Fiona e o Jardim Secreto e Um Neurótico no Divã. Você pode nos contar um pouco sobre seus outros livros?
 
Tamara: Minha obra impressa está esgotada no momento, mas eu disponibilizei todos os meus livros em e-book pela Amazon. Além do “Neurótico”, da “Alice” e da “Fiona”, ainda lancei um ensaio sobre a arte moderna chamado “Cabeça de Artista”, e um livro de autoajuda sobre a vida do rei Salomão, “O herdeiro da casa de Davi”.

Cabeça de Artista nasceu de uma viagem que fiz a Europa em 2013. Estive na Suíça, em Paris e em Lisboa e fiquei um pouco decepcionada com o mundo moderno depois de transitar por essas belas cidades. Passei um mês viajando, conhecendo cada cantinho desses países, interagindo com as pessoas e lendo muito. Em Lisboa passei 3 dias na casa de um casal intelectual e lá descobri os ensaios geniais de George Steiner, o que me inspirou muito. Nos últimos dias da viagem fiz algo que ninguém entendeu muito bem: me tranquei na biblioteca desse casal e li tudo o que encontrei sobre política, economia e sociologia para entender a Europa de uma forma mais abrangente, e não apenas como turista. Quando voltei ao Brasil minha cabeça estava fervendo. Fui à livraria e comprei vários livros teóricos sobre cultura como “A Civilização do Espetáculo”, do Llosa e “Notas para a definição de cultura”, do T.S. Eliot. Esse estudo todo me levou a escrever “Cabeça de Artista”, e o livro fez um sucesso enorme quando foi lançado. Eu cheguei tão angustiada da Europa que lancei a primeira versão da obra em PDF, com envio gratuito para quem quisesse ler! Teve cobertura da mídia e o retorno foi incrível. Agora lancei uma versão estendida e revisada pela Amazon, em e-book. E ele continua tendo muita procura!
 
Já o livro sobre Salomão nasceu da minha própria busca espiritual. Esse é um livro bastante autobiográfico onde falo sobre a minha trajetória pelos caminhos da fé. Eu passei 3 anos estudando a vida do Rei Salomão, e acho que essa obra é um dos livros mais completos que há sobre ele aqui no Brasil. Também está disponível em e-book pela Amazon.
 
RDTPop: Qual deles você diria que é o seu preferido?
 
Tamara: Essa é uma pergunta impossível de responder! Todos os meus livros são igualmente importantes para mim, pois eles nasceram de experiências muito pessoais. Cada um deles retrata um momento muito específico.
A escrita é um processo de amadurecimento, um diário que te acompanha durante a jornada da vida. Há pessoas que colecionam diários, eu coleciono livros.
 
 
RDTPop: Você é a idealizadora de um projeto muito legal chamado Autores Artistas, (que eu particularmente, como psicopedagoga, sempre que posso faço uma visita), quer nos contar um pouco sobre isso? De onde surgiu a ideia?
 
Tamara: O Autores Artistas é atualmente a minha grande paixão! A carreira de escritora me permitiu ter um contato muito próximo com as escolas, as faculdades e os estudantes de modo geral. Toda vez que eu publico um livro, lanço uma turnê por esses meios acadêmicos, onde dou palestras, entrevistas e workshops. E essa experiência me mostrou que os estudantes brasileiros estão totalmente ignorantes sobre cultura geral. Uma vez, durante uma palestra, citei o nome de Pablo Picasso. O silêncio foi geral. Ninguém da plateia conhecia o Picasso! Fiquei muito surpresa e intrigada com aquilo e comecei a fazer alguns testes. Incluí outros grandes nomes da arte como Renoir, Frida Kahlo, Portinari ou Rembrandt, e o resultado foi o mesmo. Comecei então a sentir urgência em fazer algo para transformar essa situação, mas não sabia por onde começar.
 
Além de ser artista, sou filha de artista. Meu pai é pintor e cresci rodeada por muitos livros de arte, e sei o quanto isso pode modificar a vida das pessoas. Uma pessoa que não conhece nada sobre arte apresenta uma visão muito limitada da vida. O desconhecimento da arte gera entropia psíquica e alienação, preconceitos, visão tacanha e falta de perspectiva. Conhecer e experimentar a arte é fundamental para o desenvolvimento integral das nossas capacidades humanas. Mesmo gênios matemáticos, como Einsten, são apaixonados por arte, pois sabem que assim como a matemática, a arte desenvolve a criatividade, ensina a simetria, e te dá ferramentas para a abstração.
 
Portanto, eu precisava fazer alguma coisa para estimular o interesse das crianças e dos adolescentes pela arte, e foi por isso que fui buscar especializações internacionais. Encontrei na metodologia dos maiores museus do mundo as ferramentas para ensinar arte dentro dos parâmetros curriculares educacionais do século 21, e o Autores Artistas é fruto desse estudo.
 
O Autores Artistas foi inspirado pela metodologia de ensino da arte do MOMA (Museu de Arte Moderna de NY), do TATE (Londres), da National Gallery (Londres), do Museu Van Gogh (Amsterdã) e do Louvre (Paris). E agora toda essa metodologia está disponibilizada gratuitamente no site do projeto, e os professores podem acessar tudo livremente!
 
 
RDTPop: Você está trabalhando em algum livro no momento?
 
Tamara: Tenho mais 4 livros inéditos para lançar, mas ainda não há previsão de quando eles estarão à venda. Escrevi um novo romance em 2014, que tem como tema a dificuldade do artista de se sustentar por meio da arte. É um livro forte, curto como o Neurótico e muito reflexivo, inspirado pela literatura austríaca, como a do autor Peter Handke.
Há também um livro didático contendo toda a metodologia do Autores Artistas, e mais dois livros infantis.
Atualmente, estou aprendendo meu terceiro idioma, o holandês, e isso tem me levado a estudar a vida, as técnicas e a motivação dos poliglotas. Talvez eu escreva um livro sobre o assunto mais tarde.
 
RDTPop: De onde você tira as suas inspirações pra escrever?
 
Tamara: Sempre, sempre, sempre das experiências vividas, reais ou psíquicas. Toda a minha obra tenta responder alguma pergunta pessoal minha. Tiro inspiração das viagens, dos livros que leio, da arte, das pessoas, da história e da geografia. Absolutamente tudo me inspira. O estilista da Chanel, Karl Lagerfeld (que é um dos maiores gênios vivos, na minha opinião), diz o seguinte: – “Pessoas entediadas são pessoas entediantes! O tédio é filho da estupidez.”
Eu nunca fico entediada, pois sempre estou profundamente interessada em alguma coisa, seja num idioma, numa história, numa obra de arte, numa cultura, numa metodologia de ensino, num filme ou num livro. Gostaria de verdade que o dia tivesse 48 horas, e não 24. E tem mais, detesto os fins de semana! Gosto de trabalhar e não entendo aquele povo que compartilha bobagens no facebook como “Amo dormir” e “Odeio a segunda-feira”.
 
 
RDTPop: Se você não fosse escritora, trabalharia com o que?
 
Tamara: Certamente, como educadora. Aliás, sou professora de inglês e levo essa profissão extremamente a sério. Preparo aulas, estudo antes de entrar em sala e adoro compartilhar conhecimento. O mais legal de ser professor é saber que somos nós quem mais aprendemos. Os alunos não percebem isso, mas eu sou a maior aprendiz dentro da sala de aula.
 
 
RDTPop: Que dica você pode dar para o pessoal que está entrando no mundo literário agora?
 
Tamara: O mundo literário está passando por uma revolução radical e minha dica é a seguinte: seja seu próprio editor. Essa semana houve uma reunião fantástica dos músicos para o lançamento do aplicativo TIDAL (um aplicativo que possui mais de 25 milhões de músicas). Artistas de peso como Madonna, JZ e Rihanna se uniram para ter de volta o poder sobre a própria criação musical, não dependendo mais do mercado fonográfico. Essa é uma tendência mundial e na literatura já temos essa possibilidade com o Kindle e o Clube de Autores, que tirou dos artistas a dependência do mercado editorial, sempre tão concorrido e desigual. Quem está começando a carreira literária agora deve estudar muito sobre empreendedorismo e marketing pessoal, pois o sucesso está totalmente em nossas mãos!
 
 
RDTPop: Quer deixar algum recado para seus fãs?
 
Tamara: Gostaria de agradecer mais uma vez pela oportunidade de estar aqui e convido a todos a visitar o site Autores Artistas (http://www.autoresartistas.com/). Para ter livre acesso ao conteúdo é preciso cadastrar uma senha, mas é absolutamente gratuito!
 
 
RDTPop: A gente agradece muito você ter tirado esse tempinho para conversar com a gente. Um grande abraço Tamara!
 
Uau… certo? A Tamara é uma daquelas artistas completas, uma pessoa maravilhosa e completamente dedicada à suas paixões, e isso é incrível!
O site que ela cita na entrevista, o Autores Artistas, é realmente um projeto muito bom, eu vou la sempre que tenho um tempinho, acho que vocês deveriam conhecer.