sexta-feira, 19 de abril de 2013

PREPARATIVOS PARA O SALÃO INTERNACIONAL DO LIVRO DE GENEBRA - 2013




Agora falta realmente pouco para o início do 27° Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra que ocorrerá entre os dias 01 e 05 de maio na Suíça. Pela primeira vez estarei expondo minha obra em solo estrangeiro e estou muito feliz com a novidade!
 
Mas para quem pensa que atingir um grande objetivo é coisa fácil...vai ficar surpreso com o tamanho da luta. Em janeiro surgiu o convite do Varal do Brasil para que eu levasse meu livro UM NEURÓTICO NO DIVÃ para a Suíça. Num impulso irracional (e olhando agora vejo que fui mesmo irracional), aceitei. Vejam bem, eu não tinha um único real sobrando na carteira, nem mesmo para um cineminha no sábado, então como foi que aceitei um convite de viagem internacional que seria tudo pago por minha conta? FÉ, CERTEZA e DETERMINAÇÃO.
 
Eu realmente não sabia como iria fazer para levantar o dinheiro para a viagem, mas havia um profundo desejo dentro de mim de dar esse passo mais largo. Por esse motivo, no dia seguinte ao recebimento do convite, comecei a imaginar de que forma eu poderia  conseguir um patrocínio ou uma ajuda generosa...Pois eu tive ambos!
 
Primeiro levantei todas as possibilidades de editais nacionais, federais e estaduais disponíveis no mercado. Com a ajuda de uma amiga querida, Eugênia, comecei a trabalhar dia e noite na execução de um projeto bem formulado que fosse bom não somente para mim, mas para as pessoas que poderiam me apoiar.
 
O problema é que eu teria  que pagar a inscrição 2 meses antes de qualquer resultado. E eu também não tinha esse dinheiro. Mas arranjei, e paguei na certeza de que todo o mais daria certo. Os dois primeiro editais que me inscrevi, foram negados. Minha ansiedade e  angústia começaram a aumentar de forma terrível. Comecei a ficar sem dormir. Ver meus livros em Genebra era tudo o que me importava, mas como eu faria?
 
Então a maré começou a mudar. Ganhei o edital de Intercâmbio do Ministério da Cultura onde concorri com o Brasil inteiro. O dinheiro não era muito, mas já dava para comprar os livros, pagar o hotel e sobrar algum para comer... ;) Mas eu ainda não tinha dinheiro para pagar a passagem.  Mais uma noite sem dormir. Montei um novo projeto e apresentei para a Faculdade  Doctum, onde me formei, e pedi a eles que me dessem a passagem em troca de oficinas de escrita criativa para os alunos da rede.  Eles aceitaram!
 
Genebra começou a ser uma possibilidade  real, mas o dinheiro ainda não estava na minha conta. Enquanto isso, as editoras da FIONA e de UM TANGO PARA ALICE (Modo Editora e Oitava Rima) começaram a preparar os livros para que desse tempo de todos eles embarcarem comigo. Comecei a receber textos  revisados para conferir, arte de capa para aprovar, bonecas, releases, orçamentos e muita pressão para que tudo ficasse pronto em tempo recorde. Mais algumas noites sem dormir, estressada, cansada e ansiosa.
 
Mas uma feira como Genebra merece super produção... então começou os contatos com os fornecedores dos materiais de divulgação: banners, canecas, almofadas, cartões e cartazes...
 
Foram exatamente quatro meses de muita, mas mesmo muita luta, para que esse sonho viesse a se realizar. E aqui é importante citar novamente o poder da lei da atração. Quando o desejo está focado, e as ações se harmonizam em uma única direção, o sonho se realiza. E teve também muitas orações, porque sem elas o desânimo nos abate, e a vontade de desistir sabota toda a programação.
 
Essa é uma história com final feliz. Semana que vem estarei rumando para Genebra onde estarei em contato com os maiores escritores do mundo. Estarei representando oficialmente o Brasil com o suporte do Ministério  da Cultura, o que só isso, já é uma grande honra!
      
Quem acompanhar o blog a partir da semana que vem, vai estar por dentro de todas as notícias direto de Genebra! Quem  vai viajar comigo?
    

sexta-feira, 12 de abril de 2013

SALÃO DO LIVRO E DA IMPRENSA DE GENEBRA - 1 a 5 de maio de 2013



Esse ano estarei representando o Brasil no 27° Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra. Serão 24 autores expondo literatura em língua portuguesa. É um grupo bacana de escritores brasileiros, portugueses, angolanos e moçambicanos que se reunirão no stand do Varal do Brasil entre os dias 1 e 5 de maio de 2013.  
 
O livro UM NEURÓTICO NO DIVÃ é o convidado oficial, mas aproveitarei a oportunidade para estar lançando mais dois livros no evento: UM TANGO PARA ALICE e FIONA E O JARDIM SECRETO!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

BOOKTRAILER - "FIONA E O JARDIM SECRETO" e "UM TANGO PARA ALICE"

 

terça-feira, 9 de abril de 2013

LIVROS QUE MUDARAM A MINHA VIDA 10 - SHAKESPEARE



Hoje chegamos ao fim da série LIVROS QUE MUDARAM A MINHA VIDA. Encerramos com uma coleção de 10 postagens com dicas de livros e curiosidades sobre os autores. Há sempre alguém pedindo dicas de leitura e, por esse motivo, desenvolvi esses posts para compartilhar meus livros e autores favoritos com o leitor.
 
William Shakespeare tinha que ser o último para que pudéssemos encerrar  em grande estilo! Sou muito fã de Shakespeare e creio que a obra dele gerou um impacto muito grande em minha vida. Aliás, abril é o mês de aniversário de Shakespeare, então fica aqui minha homenagem.
 
O livro que mais aprecio é MACBETH. Macbeth traz elementos místicos e sombrios que dão um contorno único à percepção que o autor tinha da natureza mesquinha e ambiciosa do homem.             Num encontro com as moiras (ou musas do destino), dois soldados são surpreendidos com uma previsão do futuro. Um seria um grande soldado, e o outro, se tornaria o rei da Inglaterra.  Quando a mulher de Macbeth toma conhecimento da previsão feita pelas feiticeiras, fica cega pela ambição. Se o destino do marido é ser rei, então ela mesma será rainha. Numa trama espetacular e envolvente, o casal começa a armar a queda do rei para que pudessem assumir o trono. Macbeth é um livro forte, potente e imperdível!
 
HAMLET também traz à tona a questão da loucura causada pelo sentimento de culpa e o remorso. Todos os livros de Shakespeare são altamente sombrios, mesmo os romances como Romeu e Julieta e as obras de humor. Para mim é sempre incrível ler um texto escrito há séculos e perceber sua inalterável atualidade. O próprio  Shakespeare já dizia que a essência do homem nunca muda.    
 
Mas quem foi Shakespeare? Foi simplesmente o maior poeta e dramaturgo inglês! Nascido em 1564, em Stratford-Upon-Avon, e falecido em 1616, o seu aniversário é comemorado a 23 de abril e sabe-se que foi batizado a 26 de abril de 1564. Stratford-Upon-Avon era então uma próspera cidade mercantil, uma das mais importantes do condado de Warwickshire. O seu pai, John Shakespeare, era um comerciante bem sucedido e membro do conselho municipal. A mãe, Mary Arden, pertencia a uma das mais notáveis famílias de Warwickshire. Shakespeare frequentou o liceu de Stratford, onde os filhos dos comerciantes da região aprendiam Grego e Latim e recebiam uma educação apropriada à classe média a que pertenciam. São conhecidos poucos fatos da vida de Shakespeare entre a altura em que deixou o liceu e o seu aparecimento em Londres como ator e dramaturgo por volta de 1599.
 
Em 1582 casou com Anne Hathaway, oito anos mais velha do que ele, e o casal teve três filhos: Suzanna (nascida em 1583), e os gémeos Hamnet e Judith (nascidos em 1585). A primeira referência a Shakespeare como ator e dramaturgo encontra-se em A Groatsworth of Wit (1592), um folheto autobiográfico da autoria do dramaturgo londrino Robert Greene, onde o escritor é acusado de plágio.
 
Nesta altura Shakespeare era já conhecido em Londres, embora não se saiba com exatidão a data do seu aparecimento na capital. Em virtude do encerramento dos teatros londrinos entre 1592-94, Shakespeare compôs nessa época dois poemas narrativos: Venus and Adonis (publicado em 1593) e The Rape of Lucrece (publicado em 1594). No inverno de 1594 integrou a mais importante companhia de teatro isabelina, The Lord Chamberlain's Men, onde permaneceu até ao final da sua carreira. A companhia deveu à popularidade de Shakespeare o seu lugar privilegiado entre as restantes companhias de teatro até ao encerramento dos teatros pelo Parlamento inglês em 1642. Em 1598 foi inaugurado o Globe Theatre, o teatro da companhia a que Shakespeare se associara, construído pelo ator e empresário Richard Burbage no bairro de Southwark, na margem sul do Tamisa. 
 
O Globe Theatre foi destruído pelo fogo no dia 23 de junho de 1613, durante uma representação da peça Henry VIII. Além de uma coleção de sonetos e de alguns poemas épicos, Shakespeare escreveu exclusivamente para o teatro. As suas 37 peças dividem-se geralmente em três categorias: comédias, dramas históricos e tragédias. Entre os dramas históricos, gênero que primeiro cultivou, destacam-se Richard III (Ricardo III), Richard II (Ricardo II) e Henry IV (Henrique IV). Entre as suas comédias contam-se Love's Labour's Lost, The Comedy of ErrorsA MEGERA DOMADA, a comédia de intenção séria The Merchant of Venice (O Mercador de Veneza), As You Like It (Como Quiserem) e A Midsummer Night's Dream (Um Sonho de Uma Noite de Verão). A tragédia não é uma forma que pertença exclusivamente a um determinado período na evolução da obra de Shakespeare. Sob influência de Marlowe, a forma de tragédia já se encontrava nas peças que dramatizavam episódios da História inglesa. Em Romeo and Juliet (Romeu e Julieta) e Julius Caesar (Júlio César) Shakespeare combinou a perspetiva histórica com uma interpretação trágica dos conflitos humanos. O período em que Shakespeare escreveu as suas grandes tragédias iniciou-se com Hamlet, escrita entre 1600-1602, a que se seguiram Othelo, Macbeth, King Lear, Anthony and Cleopatra e Coriolanus, todas elas compostas entre 1601 e 1608. Na última fase da carreira de Shakespeare situam-se as peças de tom mais ligeiro: Cymbeline, The Winter's Tale e The Thempest. Parte das obras de Shakespeare foram publicadas durante a vida do autor, por vezes em edições pirateadas, mas só em 1623 apareceu a edição "Fólio", compilada por John Heminges e Henry Condell, dois atores que tinham trabalhado com Shakespeare. No século XVIII as peças foram publicadas por Alexander Pope (em 1725 e 1728) e Samuel Johnson (em 1765), mas só com o Romantismo se compreendeu a profundidade e extensão do gênio de Shakespeare. No século XX reforçou-se a tendência para considerar a obra de Shakespeare integrada nos contextos dramáticos que a suscitaram.   (texto explicativo retirado da Wook)
 
Para quem quiser se aprofundar mais na literatura shakespereana, indico um livro fantástico da autora Germaine Greer que faz uma análise profunda da obra de Shakespeare.
 
Peço ao leitor que livre-se de todo e qualquer medo ou preconceito relativo à obra de Shakespeare e se aproxime das versões originais. Ler Shakespeare é como ler psicanálise, permite-nos cavar cada vez mais fundo no poço obscuro da essência humana.
 
Espero que tenham curtido as dicas e desejo boa leitura a todos vocês! 

segunda-feira, 8 de abril de 2013

UM TANGO PARA ALICE


ONLY FOR INTERNATIONAL READERS



Hello there! The blogger system told me that I have many international readers. Im very happy to know that my blog is crossing frontiers! :)
Please, if you want to read the blog in english, just click on the british flag on the right side and It will be translated.
Is an automatic translation from Google translator, so I know is not perfect...
But Im sure it will be easier for everybody who do not speak portuguese.

                                                      WELCOME ALL!!  

LIVROS QUE MUDARAM A MINHA VIDA 9 - Edição especial Mesa de Cabeceira

 
 
Todo mundo tem aquela lista secreta de livros especiais que adora reler, não é mesmo? Pois eu tenho a minha e vou abrir agora para vocês. Para fazer essa postagem decidi que falaria sobre os primeiros 6 livros que me viessem à cabeça de imediato. É claro que há muitos outros na minha lista e sou uma leitora que vive relendo livros, mas os que lembrei primeiro e causaram um forte impacto em mim são esses:
 
1) O Amante de Lady Chatterley (D.H. Lawrence);
2) Istambul (Orhan Pamuk);
3) O Leitor (Bernard Schlink);
4) Budapeste (Chico Buarque);
5) Quando Nietzsche Chorou (Irvin D. Yalom);
6) Lipstick Jungle (Candace  Bushnell).
 
Chico Buarque é um dos meus autores nacionais preferidos, e  Budapeste literalmente me tirou o sono quando o li pela primeira vez. Chico construiu um texto tão dinâmico que temos a impressão de estarmos numa montanha russa de letras!  Budapeste é simplesmente extraordinário e já li umas 4 vezes.
 
O livro O LEITOR, de Schlink, foi outro que mexeu profundamente comigo. Extremamente poético e cinematográfico, a construção do texto dá imagens fortíssimas ao leitor e chega a causar s ensações físicas, como vontade de chorar e aperto no peito. É tão impactante que acabou mesmo por virar filme. Leitura imperdível aos amantes de um bom texto.
 
O autor Irvin D. Yalom é um caso à parte na minha lista. Simplesmente amo todos os livros dele. Mas Quando Nietzsche Chorou é realmente uma obra prima! Se não leu ainda, corre na livraria e leia!
 
A escritora Candace Bushnell é outra mulher que adoro! O primeiro sucesso estelar de Candace foi Sex and the City, que virou o seriado de  tv e depois o filme. Mas meu livro predileto dela é Lipstick Jungle (Selva de Batom), pois é uma obra bastante adulta que  retrata com muita inteligência a vida conturbada e os desafios das mulheres de negócios modernas. Amo esse livro e ele está agora mesmo na minha mesinha de cabeceira à espera de releitura!
 
Orham Pamuk é um autor turco super premiado que eu também gosto muito. Istambul é um livro/biografia maravilhoso que transporta o leitor para uma Turquia antiga, tradicionalista e cheia de segredos. Lindo! 
 
Já a obra de Lawrence, O AMANTE DE LADY CHATTERLEY eu recomendo com muito entusiasmo! Eita livro bom! Aqui vamos conhecer a história de um triângulo amoroso complexo onde a paixão pela vida e a fidelidade ao instinto  falam mais alto. Amo esse livro e fico impressionada de ver a sensibilidade e genialidade do autor na construção dos diálogos entre os personagens. Esse livro foi proibido quando lançado e é considerado um clássico da literatura erótica. Mas pra  gente que vive na época dos cinquenta tons de cinza, chega a ser engraçado  saber que Lady Chatterley era um ícone do erotismo. Imperdível! 
   


sexta-feira, 5 de abril de 2013

LIVROS QUE MUDARAM A MINHA VIDA 8




Milan Kundera nasceu a 1 de abril de 1929, em Brnö, na antiga Checoslováquia. Em 1975 fixou residência em Paris, tendo, em 1981, adotado a nacionalidade francesa. Autor de uma vasta obra, que abrange o romance, o ensaio e a poesia, é considerado um dos mais importantes escritores do século XX. A Insustentável Leveza do Ser é a sua obra mais aclamada pelos leitores e pela crítica, e em muito contribuiu para torná-lo um autor reconhecido internacionalmente. Entre outros, foram atribuídos a Milan Kundera o Prémio Médicis (1973), o Prémio Mondello (1978), o Prémio Common Wealth (1981), o Prémio Jerusalém (1985) e o Prémio Independent de Literatura Estrangeira (1991).
 
No ano de 1984, Kundera escreveu A Insustentável Leveza do Ser, seu trabalho mais popular. O livro é como uma grande crônica acerca da frágil natureza do destino, do amor e da liberdade humana. Mostra como uma vida é sempre um rascunho de si mesma, como nunca é vivida por inteiro, como o amor pode ser frágil e como é impossível de repetir-se. A obra, sucesso de público e crítica, ganhou sua versão cinematográfica no ano de 1988. Porém Kundera proibiu, a partir de então, a adaptação cinematográfica de seus outros livros.
 
Em 1990 Kundera escreve A Imortalidade. O romance é o mais "cosmopolita" até então, sem situar o enredo dentro do universo social e político da República Checa como fizera até então. Possui um conteúdo explicitamente filosófico e pode-se dizer que é o início de uma segunda fase da obra do autor. 
 
Eu sou uma grande fã do trabalho de Kundera e comprei vários livros seus quando morei em Portugal. Meu livro preferido do autor é A IGNORÂNCIA (2000), mas também me encantei com a A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER (1983), e seu livro de ensaios UM ENCONTRO (2009) onde o autor aborda diversos temas políticos, literário e filosófico.  
 

terça-feira, 2 de abril de 2013

LIVROS QUE MUDARAM A MINHA VIDA 7


Nikolai Gogol foi um escritor russo nascido a 31 de março de 1809, em Mirgorod, na Ucrânia. Aos 19 anos instalou-se em São Petersburgo, tentando seguir uma carreira literária e conseguindo apenas um posto de funcionário público e, depois, de professor de História. Escreve contos baseados nas recordações da Ucrânia e reúne-os sob o título de Os Serões na Herdade perto de Dikanka (1831). Estas narrativas acumulam personagens e situações cómicas, detalhes realistas e ingênuos, e trazem rapidamente a celebridade ao autor.
 
A novela O Capote, que Dostoievski considera ser a origem do romance russo, foi publicada em 1842. A peça O Inspetor Geral satirizava a burocracia corrupta da época, o que veio a provocar grande controvérsia. Gogol parte em viagem e durante esse período (1836-48) inicia Almas Mortas (1842), uma sátira realista, que mais uma vez gera polêmica. Procura explicar-se em Trechos da correspondência com os Amigos (1847), revelando afinal um espírito conservador, o que vai ser totalmente incompreendido pela geração que o via como um pioneiro de um tempo novo.
 
Entretanto abandona-se a uma crise espiritual que o conduz à renúncia e ao ascetismo. Morre a 4 de março de 1852, pouco tempo depois de ter queimado a segunda parte de Almas Mortas. Considerado um precursor do romance realista na Rússia, a sua obra atinge igualmente o domínio do poético, do lírico, do fantástico e do irracional.
 
Sou completamente apaixonada por Nikolai Gogol. Tudo em Gogol me atrai, desde o trabalho literário repleto de textos curtos e reflexivos até sua identidade religiosa mascarada e escondida. Gogol era um homem complexo. Considerado o pai da literatura moderna com seu trabalho voltado para a sátira do tempo atual, Gogol ganhou fama rapidamente na Rússia e acabou conquistando o mundo inteiro. Porém, Gogol tinha um lado obscuro que ninguém conhecia. Ele se converteu secretamente ao catolicismo e passou a frequentar cultos religiosos sem que ninguém soubesse. Ele tinha dois grupos distintos de amigos: os amigos e alunos da área literária; e os amigos da igreja. Os dois grupos jamais se misturaram e, portanto, é difícil  saber ao certo qual foi o grupo de amigos do autor que o melhor compreendeu.
 
Meu primeiro livro publicado, Um Neurótico no Divã, teve o estilo comparado aos livros desse escritor russo que tanto adoro. Uma honra!
 
 
Meus livros preferidos de Gogol e que recomendo com entusiasmo são:
1) O RETRATO;
2) O CAPOTE;
3) O INSPETOR GERAL;
4) O NARIZ. 

segunda-feira, 1 de abril de 2013

LIVROS QUE MUDARAM A MINHA VIDA 6 - Edição especial Paris



Paris é meu sonho de consumo! Não dá pra ficar imune ao poderoso charme da cidade Luz. Como não dá para pegar um avião e passar um tempo em Paris desfrutando de toda sua beleza e estilo, faço as viagens em casa mesmo, por meio dos muitos livros que tenho sobre essa cidade especial.
 
Para quem quiser compreender porquê Paris é o maior centro de estilo do Universo,  precisa ler "A ESSÊNCIA DO ESTILO" de Joan Dejean. Nesse livro espetacular e completo sobre o nascimento do estilo e do luxo parisience, o leitor irá se deliciar com curiosidades e informações históricas sobre a gastronomia, os perfumes, a moda e muito mais. 
 
Outro livro fantástico é "O EVANGELHO DE COCO CHANEL" de Karen Karbo. Esse livro delicioso traz dicas maravilhosas para se lidar com relacionamentos, trabalho e vida seguindo os conselhos de madame Coco Chanel. Imperdível!
 
Para conhecer a Paris dos grandes artistas como Hemingway, Picasso, James Joyce, Anais Nin e tantos outros nomes consagrados, você precisa ler "PARIS É UMA FESTA" de Hemingway e "CASADOS COM PARIS" de Paula McLain.
 
Como sou grande fã de biografias e leio tudo o que me aparece pela frente, recomendo duas biografias  que tem Paris como pano de fundo: BB, a biografia de Brigitte Bardot, e "MARIA ANTONIETA" de  Evelyne Lever.
 
Outras dicas legais de livros sobre Paris:
 
1) A PARISIENSE - O guia de estilo de Ines de La Fressange;
2) O QUE AS MULHERES FRANCESAS SABEM SOBRE amor, sexo e atração, de Debra Olivier;
3) AS MULHERES FRANCESAS NÃO ENGORDAM de Mireille Guiliano.