sexta-feira, 23 de novembro de 2012

PALESTRA: "VOCÊ É NORMAL?"







Nesta última quarta-feira, dia 21/11, tive a alegria de levar o Neurótico para um grande público de estudantes na Faculdade  Doctum de Guarapari. A palestra que acompanha o lançamento do livro deixou todo mundo confuso, pois afinal é mesmo muito difícil definir a linha que separa a loucura da normalidade.

Com um público participativo de mais de 150 pessoas, a palestra foi um sucesso! Muita risada, muito bate-papo e muita reflexão que vai ficar marcado na nossa história. 

A Doctum de Guarapari é a minha casa. Foi lá que me formei em Direito em 2009, foi lá que trabalhei como gerente de marketing em 2010 incentivando a cultura da cidade e foi lá que fiz meus maiores amigos. Por tudo isso senti-me muito feliz e honrada ao ser recebida com tanto entusiasmo e carinho pela turma da Doctum. Valeu!  

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A IMPORTÂNCIA DO AGENTE LITERÁRIO



Hoje gostaria de dar mais uma dica aos autores iniciantes para que possam vencer a batalha da publicação: contrate um agente literário.

Minha corrida pela publicação começou em 2009, quando ainda escrevia apenas poesias e contos curtos. Eu possuía um trabalho belíssimo  totalmente ilustrado por um artista macedônio, mas não estava conseguindo chamar atenção das editoras. E foi aí que o trabalho do agente me ajudou. Diana Lima (minha agente) e eu iniciamos essa jornada juntas. Ela gostou do trabalho, mas como estava muito por dentro da demanda do mercado começou a me orientar a  escrever outras coisas.

Minha agente literária passou a cuidar da minha carreira e a me guiar pela estrada sinuosa do mundo dos livros. Hoje, após quase 4 anos de parceria, estamos começando a colher os frutos do que semeamos.

É claro que essa é uma relação muito delicada e complicada, pois o autor é ansioso e fica preocupado com o futuro da sua obra. Diana e eu já tivemos uma série de brigas! Discussões, mal entendidos, frustrações e dúvidas pra todos os lados! rsrs Mas no fundo nós duas sabíamos que o sucesso iria bater à nossa porta e confiávamos no talento uma da outra.

Eu sempre fui uma autora aplicada no que se referia aos pedidos de minha agente. Era sempre um monte de pedidos/ordens:
- Tamara, preciso de um infanto-juvenil com tantas páginas;
- Tamara, agora a sinopse não pode mais ser desse jeito;
- Tamara, mude os capítulos de tal livro porque está pesado demais;
- Tamara, reescreva sua biografia;
- Tamara, envie trocentas cópias para tal endereço;
- Tamara, traduza tudo pro inglês;
- Tamara,  encaminhe os textos para os beta readers; 
- Tamara, o mercado agora mudou e precisamos de tal tipo de argumento....

E lá ia eu trabalhando dobrado e adequando tudo para que nosso objetivo fosse atingido! E gastando! Autores inciantes prestem atenção: você vai gastar muito! Não dá pra choramingar. Traduzir pro inglês? Paga. Revisar? Paga? Fazer cópias, encadernar e encaminhar pelo correio? Paga. E por aí vai...

No início eu me matava de trabalhar e nada acontecia. Cadê a Companhia das Letras pra me oferecer um mega contrato? E a Record? Por que não sabem que eu existo? Minha frustração ia aumentando e começava a cobrar de minha santa agente que nunca perdia a paciência. rsrs
O trabalho foi árduo, mas hoje atingimos um resultado excelente. Que autor não conhece a jornada épica de Mônica Antunes, a agente literária de Paulo Coelho? Todo mundo sabe o quanto ele brigava com ela, mas ela ficava ali firme, convicta que o representaria para o mundo inteiro. E venceu!

Para início de conversa, um agente literário não vai aceitar fechar um contrato contigo se você não tiver talento. O agente tem olho clínico pra essas coisas e se seu trabalho for fraco, ele não vai te aceitar. Claro que estou falando de agentes sérios, sei que tem muito picareta por aí aceitando qualquer coisa.

Eu mesma atuei como agente literária em Portugal e sei a barra que é! Visitei todas as editoras portuguesas levando o meu material e o material dos meus agenciados e a resposta era sempre a mesma: NÃO.  E olha que eu tinha excelentes autores no meu time, mas não aconteceu. Quando me vi do lado de lá, passei a ter ainda mais respeito pela minha agente. Eu sabia que o meu trabalho estava sendo bem feito e  era muito frustrante ter que dar a má notícia aos meus autores. Fora o gasto que eu tinha! 

Por isso compreendi que não está tudo nas mãos do agente, mas ele é peça fundamental no nosso sucesso. Diana lia todos os livros que eu mandava, dava dicas, orientava, etc. Estava sempre me colocando a par das últimas novidades e enviando sugestões úteis. Mas todo esse processo leva tempo! Foram quase 4 anos até eu conseguir meu primeiro contrato com uma boa editora. 

E durante esses 4 anos de espera eu me aprimorei muito! Então quando olho pra trás, entendo que estava tudo certo. Hoje meu nome está ficando conhecido e já fechei mais 2 contratos para publicação em 2013. Os dois vieram de minha agente literária! Mas até chegar aqui...suamos a camisa!

Por isso leitor, preste atenção: encontre um bom agente literário e confie nele. As brigas e desentendimentos podem ocorrer porque a caminhada é muito longa e o agente vira mesmo um amigo próximo! Mas se você confiar e fizer a lição de casa direitinho, o resultado vem.

Um bom agente vai te indicar revisores, tradutores, contatos, livros,  vai ajeitar seu trabalho, enviar para leitores críticos, te apresentar para as editoras e cuidar da sua carreira. Creio que é um investimento que compensa, mas deve estar ciente de que às vezes virá somente a longo prazo. Tenha paciência.

Por isso a sugestão de hoje é essa: invista no agente para que ele se transforme no empresário de sua carreira. 

E quero deixar registrado aqui meu carinho e gratidão por minha agente. Diana Lima, obrigada! :)   

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Papo Instigante Tamara Ramos: Lançamento do livro "Um Neurótico no Divã" em Minas Gerais




segunda-feira, 5 de novembro de 2012

DICAS DE MARKETING EDITORIAL: Aprenda a divulgar o seu trabalho e conquiste leitores





Viver 100% dos louros da literatura é o sonho de todo autor. Quem nunca se imaginou fazendo fortuna com seus romances e podendo se dedicar totalmente à criação de novas histórias? A boa nova é a seguinte: este é um caminho difícil que exige muito do escritor, mas é possível! Qualquer um com um pouco de talento, bom trabalho de marketing, e vá lá, um bocadinho de sorte, pode alcançar o pedestal.  

Qual é o segredo dos autores pertencentes ao Clube do 1 Milhão de Obras Vendidas como Paulo Coelho, J.K. Rowling e Stephanie Meyer? Tirando a parte do talento o segredo é um só: marketing pessoal e proximidade com o leitor.

Alguns autores me escrevem pedindo dicas de como podem promover melhor os seus livros e meu conselho é sempre o mesmo: invista em marketing! Você pode achar que estou falando de altos investimentos financeiros, mas não é isso. Até porque, nem todo artista dispõe de grana para investir em sua própria arte. Aliás, a maioria não possui. Porém, nesse mundo globalizado e virtual que vivemos tudo ficou muito mais fácil. A maioria do trabalho eficiente de marketing não necessita de dinheiro algum para ser executado, pois trata-se de marketing virtual.

Os autores mais famosos do século passado levavam anos para esgotar uma edição de 500 ou 1000 exemplares. Freud levou 8 anos para vender 600 exemplares de seu best-seller mundial "A Interpretação dos Sonhos". James Joyce necessitou da ajuda de Ernest Hemingway para fazer com que seu Ulysses entrasse aos poucos e clandestinamente em solo americano. Nietzche foi tão mal sucedido ao vender suas obras que morreu com suas edições encalhadas. Fernando Pessoa teve que tirar dinheiro do próprio bolso para editar seus poemas e a própria J. K. Rowling levou sete anos para conseguir convencer uma editora pequena do valor comercial de Harry Potter. 

Mas hoje o mercado literário mundial mudou e está bem mais fácil publicar e divulgar um livro graças ao advento da internet. Em primeiro lugar você deve deixar todo preconceito e falsa modéstia de lado no momento de divulgar seu trabalho. Se nem você mesmo acreditar no potencial da sua obra, quem mais acreditará? Por isso preste atenção autor: monte um blog, site, facebook e twitter extraordinário e crie uma atmosfera de sucesso ao redor de seu nome. Veja só, você não deve economizar abrindo uma única conta ou escolhendo uma só rede social. Twitter, facebook, blog e sites são instrumentos gratuitos e serão enriquecidos de acordo com sua criatividade. Disponha de todos!

O autor novato precisa entender que TODAS as pessoas são público leitor em potencial. Por isso, comece a divulgar seu livro na sua cidade. Não tenha preconceito contra amigos e conhecidos, porque antes de você começar a escrever essas pessoas já liam outros autores e sua obra será apenas mais uma a ser absorvida pelos seus colegas. Se o seu livro for realmente bom, seus amigos serão os primeiros a recomendá-lo aos amigos deles gerando um efeito cascata que surpreenderá você!

Há 2 meses eu presenteei uma amiga com um exemplar de "Um Neurótico no Divã". Encontrei-a há duas semanas e fiquei chocada ao saber que aquele exemplar já havia sido lido por mais de 7 pessoas, tinha viajado para o Rio de Janeiro e agora estava em mãos da professora de literatura de uma faculdade  federal super bem conceituada aqui.  Entenda que o livro cria asas e voa! 

Outra dica importante, entre em contato com todos os sites literários e grupos de leitura do facebook e divulgue seu livro. Envie exemplares para serem sorteados em concursos, submeta-os à leitura crítica de gente que entende, distribua para o máximo de lugares que você conseguir. Não seja mesquinho com sua primeira edição. Entenda que para fazer um nome você precisa ser lido! Portanto, não faça muitas contas neste primeiro momento. Se você deseja que pessoas importantes conheçam você, DÊ livros de presente para elas! Não fique esperando que entrem em contato com você pedindo o número da sua conta bancária. Acredite em mim: se as pessoas gostarem de verdade, elas vão te procurar para comprar mais exemplares e os amigos dela também.   

Paulo Coelho é o maior fenômeno de seguidores virtuais do mundo. Seu Twitter possui 6 milhões de seguidores, seu facebook está lotado e seu site é traduzido para vários idiomas. Agora anote mais essa dica: Paulo Coelho escreve TODOS OS DIAS em suas redes sociais. Seu blog apresenta um novo conto diariamente, mesmo agora que está famoso e não precisaria mais disso. O acesso diário de Paulo Coelho à mídia virtual dá uma sensação de proximidade com os leitores e faz com que que ninguém se esqueça dele.

Se você lançou seu livro por conta própria não fique esperando que um passarinho verde conte às pessoas que há um novo autor no mercado. Escreva um projeto de apresentação da obra (pode ser uma palestra de acompanhamento) e bata em todas as portas! Lembre-se: o artista deve ir aonde o povo está! Faça várias noites de autógrafos em diversos lugares diferentes. Visite as escolas e  faculdades, pois todo mundo fica orgulhoso em poder abrir as portas para um artista local. Fotografe tudo o que faz para divulgar seu trabalho e poste no seu face, blog e site (se leu até aqui, já sabe que tem que ter todos funcionando, né?). Lembre-se, é importante criar uma atmosfera de sucesso em torno de si. As pessoas acreditam naquilo que veem. Se você montar uma estrutura de sucesso todo mundo vai vê-lo como alguém bem sucedido e o interesse por seu trabalho vai aumentar. (Assista ao filme "O Segredo" e leia mais sobre a lei da atração)

Seja criativo no lançamento de suas obras. Faça o público mergulhar no universo que criou. Monte eventos diferentes e use seu livro como ingresso! Já imaginou? 

O autor novato deve ser seu próprio empresário. Escreva resenhas, sinopses e slogans de seu livro e padronize tudo para que as pessoas reconheçam você e o relacione à sua obra. A editora não pode fazer mais por você do que você mesmo. Autor e Editora são parceiros e o trabalho de ambos é igualmente importante para o sucesso editorial de seu livro.

Sugiro que dê uma olhada nos sites, blogs e twitter dos autores mais famosos do mundo e aprenda com eles. A fórmula do sucesso não é um segredo de alquimia guardado às sete chaves. É só você observar quem está no topo da onda e inspirar-se nos métodos deles.

Outra dica de ouro é a seguinte: participe de concursos literários! Inscreva-se no máximo que conseguir. É só fazer uma busca no google e vai descobrir  dezenas de concursos com premiação em dinheiro ou publicação gratuita espalhados pelo país inteiro. Se você não tiver obras suficientes para participar de todos: produza mais. O trabalho do escritor é escrever. Faça disso seu maior propósito de vida, sua missão.  

Para conhecer meu trabalho navegue pela rede de meu universo profissional:


Se gostou da matéria, deixe uma mensagem! :)

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

LITERATURA BOHÊMIA







Conheço a origem de todos os meus livros. Sei dizer exatamente o que me inspirou para escrever "Um Neurótico no Divã" , "Fiona e o Jardim Secreto" e todos os meus outros livros. Mas essa minha nova obra sobre uma dançarina de tango argentina e uma mulher  que troca de pele influenciada pelo tango de Carlos Gardel causou um completo branco na minha mente. Simplesmente não sei dizer de onde ela surgiu. 

Pode ter sido ao assistir alguma matéria sobre a Argentina e sua quente Buenos Aires, pode ter sido ao ouvir uns passos de tango na casa da Cláudia ou não. Cláudia diz que a ideia nasceu de uma biografia que li sobre a vida de George Sand, pode mesmo ter tido influência, mas juro que foi algo despertado pelo inconsciente. Não consigo me lembrar do motivo exato que me levou a escrever esse livro (o nome da obra ainda não pode ser citado) e nem de como o persoanegem se formou. 

Ontem coloquei o ponto final na obra e retornei à primeira página para fazer as revisões de praxe. Fiquei chocada! Essa obra absolutamente não veio do meu consciente. Intuo que acessei a caixa preta do inconsciente e o livro simplesmente me aconteceu.

Outro dia fui ao lançamento de um livro e o autor disse que essas coisas não aconteciam. Ele alegou que a escrita era um processo árduo e que essa história dos personagens aparecerem e tomarem um caminho próprio independente da vontade do autor  era bobagem.  Minha conclusão foi inevitável: o cara não era um artista.    

Eu juro que não sei dizer nada sobre o processo de criação desse livro. É claro que posso dizer que tive alguns insights enquanto caminhava na praia e outras ideias enquanto ouvia propositadamente  Carlos Gardel para me inspirar, mas a história inteira? Juro que não sei de onde ela saiu. Os cabalistas diriam que eu acessei a realidade dos 99% onde tudo já existe pronto. Talvez estejam certos.

A autora francesa de literatura erótica  Anais Nin era uma grande estudiosa da psicanálise e todos os seus contos e romances sensuais tinham base na caixa preta do inconsciente. Como venho estudando a psicanálise há quase três anos, creio que esse livro foi uma catarse freudiana. Os princípios  femininos e masculinos (ânima e ânimus, segundo Jung), se apresentaram nessa obra como num sonho. Meu livro novo é extremamente forte, erótico sem ser piegas e altamente psicanalítico.

Detesto cenas piegas de romance ou sexo e as evito completamente nos meus livros. Mas essa nova obra, cujo tango se apresenta como tema de fundo, faz uma revolução. Há cenas de sexo sim, mas elas vão surpreender o leitor pela brevidade e intesidade da narrativa. A originalidade dos sexos também está trocada o que  vai levar o leitor a se lembrar dos filmes de Almodóvar. É verdade, meu livro novo é bastante almodovariano. 

Na verdade, essa obra é uma  declaração de amor a um país que ainda não conheço, mas que me atrai muito: a Argentina. As casas de tango dão glamour à história: El Viejo Almacém, Taconeando e Alsina (fotos acima) são personagens importantes  na trama. E a atmosfera cosmopolita de  Buenos Aires é uma atração à parte.

Creio que acabei de estrear num outro tipo de literatura: a literatura bohêmia. Todos os personagens bebem muito, fumam, dançam e resolvem seus conflitos na mesa de um bar. Não há pudores na linguagem, no comportamento, nas atitudes e pensamentos. Os personagens vivem à beira do inconsciente e vão descobrindo a essência de sua alma aos poucos permitindo que o leitor acompanhe o passo a passo dessa jornada.

Encerro 2012 assinando mais essa obra e aguardando ansiosamente o momento de compartilhar tudo impresso com meu leitor.