quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

CASAMENTO INDIANO - A Fórmula da Felicidade Conjugal




É difícil entender porque tantos casamentos acabam em divórcio. As últimas estatísticas do IBGE divulgadas em 2007, confirmam que para cada 4 casamentos no Brasil, há 1 divórcio!

Este alto índice de separações indica que há algo errado nestes compromissos conjugais. Casais apaixonam-se e casam-se no auge da ilusão da paixão. O que ocorre depois é uma desmistificação do ideal romântico. A vida a dois é muito mais complicada do que conseguimos prever nos nossos sonhos.

A rotina do casal altera completamente a rotina individual. Quando compartilhamos nossa vida com o outro, não raro, flagramos a nós mesmos mudando drasticamente nossos hábitos e personalidade para nos adequarmos ao parceiro. No início esta transição parece leve, mas com o passar do tempo perdemos a referência de quem somos e do que queremos na vida.

Tornamo-nos a sombra do outro. Coisas que não nos agradam quando estamos só passam a ser toleradas, ainda que a contragosto, para evitar a desarmonia na relação. Pequenos prazeres que cultivávamos quando estávamos sozinhos ficam esquecidos no dia-a-dia ultra compartilhado da relação a dois.

E em pouco tempo começamos a culpar o outro por nossas crescentes frustrações. E aquela paixão invencível que prometia ser eterna, começa a arrefecer.

Onde erramos? Não conhecíamos direito o parceiro? Será que o amor não era tão grande assim? Seria este amor tão frágil incapaz de resistir aos primeiros problemas?

Pois encontrei na tradição indiana uma forma alternativa de casamento que me tocou. O que para nós parece absurdo, na Índia faz todo sentido!

Os casamentos indianos não começam com a paixão, mas com o compromisso futuro. É ainda comum na Índia os casamentos arranjados pelas famílias.É claro que hoje, com a modernização do país devido ao intercâmbio cultural com o ocidente, é permitido aos jovens escolherem seus parceiros ou conhecerem os noivos antes do casamento.

Os indianos creem que o amor é um sentimento que se conquista com o tempo. Para os indianos, esta paixão cega que arde e queima é volúvel e fugaz. O amor se desenvolverá com o passar dos anos e será construído com a convivência.

Eles usam a analogia da água para explicar o motivo de sua felicidade conjugal. Os indianos acreditam que nossos casamentos não dão certo porque casamos com a água já fervendo, mas a tendência da água quente é esfriar. No caso deles o casamento ocorre como a água fria no bule que vai esquentando até ferver.

Casamento na Índia é sinônimo de construção de lar, nascimento de muitas crianças e prosperidade constante. E mais, para conquistar uma relação que dure para sempre, é preciso muita paciência. Compaixão, tolerância, respeito, e lealdade, entre outros princípios budistas e hinduístas de sua religião.

Penso que nós devíamos refletir um pouco sobre isso e trabalhar para modificar nossos próprios conceitos. Se nossa fórmula fosse boa, os índices do IBGE não seriam tão desanimador.

0 comentários: