quinta-feira, 19 de novembro de 2009

DEIXE IR




O sofrimento consiste no apego. Na ilusão de que podemos controlar pessoas, momentos e o próprio destino. Escrevemos um script para nós mesmos e, como um diretor impertinente, não aceitamos falhas ou mudanças no nosso roteiro.

Pensamos que nossos sonhos são grandes o suficiente para atrair seguidores cegos. Nos esquecemos dos sonhos individuais de cada um. Damos tudo o que temos na esperança de mantermos a companhia na sala de visitas. E nos entristecemos ao final do dia quando nos percebemos sós.

Pois tenho aprendido muito com a minha solidão. E tenho aprendido que devemos seguir os sonhos individuais sem medo. A palavra tem força. Somos o que acreditamos que podemos ser.

Não sei se a poesia fez de mim uma sonhadora ou se me tornei poeta por causa da eloquencia dos meus sonhos. O que importa é que tenho verdadeira paixão pela vida. Amo acordar sob o calor de mais um dia de sol. O canto das aves me encanta. O som de algumas músicas fazem meu corpo dançar sem esforço. Sinto que estou cada vez mais conectada com as cores e as possibilidades da vida.

Sinto saudade das pessoas que optaram seguir diferentes caminhos. Mas meu amor por elas continua vivo dentro de mim. É por isso que resolvi testar uma nova estratégia: deixar ir.

Deixe ir as pessoas que não compartilham dos mesmos projetos, sonhos, a paixão pela vida. Deixe ir a falta de amor, o pessimismo, a infelicidade perpétua. Deixe ir o medo do compromisso, o sarcasmo, a cara feia. Deixe ir os amigos que já não são sinceros. Deixe ir o amor que te confronta e fere. Deixe ir as pessoas que julgam, abusam e lançam veneno por meio de palavras duras.

Deixe ir embora tudo aquilo que te faz mal.

Somos todos um campo magnético. Atraíremos, sem falta, aqueles que nos correspondem. Atraíremos mais amor para nossas vidas, atraíremos beleza, esperanças e força para prosseguirmos com nossos projetos. Atraíremos o que acreditamos ser possível.

Deixe ir. Não fique triste com as fases de reconstrução da vida. Não há revolução profunda sem um pouco de angústia. Deixe as pessoas livres para fazerem o que quiserem. E siga você também seu próprio caminho com o coração aberto e a coragem em admitir quem você é e o que realmente quer.

Tamara Ramos

1 comentários:

Natália disse...

Que texto MA-RA-VI-LHO-SO!!

Na verdade, sempre que possível temos que RElê-lo.

Continue assim, sempre publicando coisas que nos fazem refletir.

Parabéns pelo blog!!

http://falanatalia.blogspot.com